quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Tempo, tempo, tempo...

                               

O que dizer a alguém que sofreu o abandono de um grande amor?
Espere o tempo passar, deixe a vida girar, que um dia, quando acordar, perceberá que não doerá mais...
O que dizer à mãe que se despediu de um filho?
Espere que o  tempo, com suas mãos cheias de bálsamo, venha tratar a ferida, suavizar as dores e avivar as lembranças boas, até que chegue o dia do reencontro...
O que argumentar com quem tem pressa, que precisa de um emprego para saldar dívidas e sobreviver de cabeça erguida?
Tenha paciência... busque, persista, mas aguarde... por que no tempo certo virá a solução...
O que dizer a quem está doente, que luta pela vida, onde cada minuto é precioso?
Aproveite bem o tempo! Viva intensamente cada minuto! Não tema, não se desespere, por que o tempo de Deus não é o nosso...
TEMPO!
Remédio bendito para todas as dores.
Juiz implacável que faz girar a roda da vida e distribui a cada um o que lhe compete...
Velho sábio que nos faz compreender, sem palavras, o bem e o mal, os efeitos da inércia e da ação...
O tempo é soberano – ninguém se furta à sua passagem, aos seus efeitos, aos seus benefícios.
Pinta nossos cabelos de branco, abranda nossos corações, torna nosso olhar mais doce, menos afoito, mais tranquilo... traz-nos o benefício da maturidade...
Como diz o Eclesiastes, “tudo tem seu tempo determinado... há  tempo de nascer e tempo de morrer, há  tempo de chorar e tempo de  rir ,  tempo de abraçar e de afastar-se de abraçar, tempo de derrubar e tempo de edificar”...
Quando temos a graça de compreender, que tudo tem seu tempo, tudo tem sua hora, já não há por que sofrer!
Por que temos tanta pressa?
Por que nos comportamos como crianças mimadas e queremos para hoje o que ainda não maturou, o que ainda não está pronto para a ceifa?
Deus é sábio e justo. Confiemos em sua ação através do tempo...
Isso me lembra também o poeta Caetano, na sua belíssima canção entitulada “oração ao tempo”:
        “Compositor de destino, tambor de todos os ritmos
         Tempo, tempo, tempo, tempo
         Entro num acordo contigo!
         (...)
         Peço-te o prazer legítimo
         E o movimento preciso
        Tempo, tempo, tempo, tempo
        Quando o tempo for propício...”

Chega de brigar com o tempo!
Vou entender, de uma vez por todas, que ele é meu aliado...
Vou dar-lhe as mãos e sair por aí, brindando a vida, derramando as lágrimas que forem necessárias, mas com a certeza de que o tempo de rir já está a caminho!


                                     

Nenhum comentário:

Postar um comentário